terça-feira, 30 de setembro de 2014

VOX POPULI: DILMA VAI A 40%, MARINA TEM 24% E AÉCIO ATINGE 18%

Pesquisa Vox Populi, encomendada pela Rede Record, mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) na liderança com 40% das intenções de voto para a Presidência da República. A candidata pelo PSB, Marina Silva, aparece com 24% das intenções e Aécio Neves (PSDB) com 18%. Na última pesquisa Vox Populi, Marina tinha 22% das intenções de voto e Aécio, 17%. Dilma manteve a mesma porcentagem.
Na pesquisa divulgada ontem (29), os candidatos Luciana Genro (PSOL) e Pastor Everaldo (PSC) tiveram 1% das intenções de voto cada um. Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) tiveram menos de 1% das intenções. Brancos e nulos somam 6% e 11% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.
O Vox Populi fez duas simulações de segundo turno. Em disputa entre as candidatas Marina Silva e Dilma Rousseff, Dilma venceria com 46% das intenções contra 39% de Marina. Brancos e nulos somariam 9%, e 6% seriam os indecisos.
Em uma disputa entre Dilma e Áecio, a candidata do PT venceria com 48% das intenções contra 38% do candidato tucano. Os votos brancos ou nulos seriam 9%, e os indecisos 5%.
Foram feitas 2 mil entrevistas em 147 cidades. O levantamento foi no sábado (27) e domingo (28). A margem de erro é 2,2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. O número de registro na Justiça Eleitoral é BR-00888/2014.
Da Agência Brasil.

Instituto Babesp: Souto 35, Rui 34 e Lídice 6

A nova pesquisa do Instituto Babesp revela empate entre os dois principais candidatos na corrida ao Palácio de Ondina. Paulo Souto (DEM) oscilou de 37% para 35,05%, enquanto Rui Costa (PT) cresceu sete pontos percentuais, saltando de 27% para 34,15%. A pesquisa traz ainda Lídice da Mata (PSB) com 6,16% das intenções de voto. Renata Mallet (PSTU) atinge 0,55%, Da Luz (PRTB) vai a 0,5% e Marcos Mendes (PSOL) fica com 0,35%. De acordo com a pesquisa, o percentual de indecisos atinge 14,52%. O índice de brancos e nulos fica em 8,71%. A pesquisa mostra Rui Costa com 37,76% das intenções de voto quando apresentado com o apoio do ex-presidente Lula, Dilma Rousseff e Jaques Wagner. Paulo Souto cai para 32,65% quando associado a Aécio Neves (PSDB) e ACM Neto (DEM). Lídice ganha pouco quando associada à presidenciável Marina Silva (PSB): 6,76%. Mallet cai a 0,4% quando apresentada com Zé Maria. Da Luz fica com 0,35% com Levy Fidélix. Marcos Mendes tem 0,25% com o apoio da presidenciável Luciana Genro, também do PSOL. Neste cenário, o percentual de branco e nulo vai a 9,01% e o de indecisos, 12,77%. A pesquisa mostra Rui numericamente à frente de Souto na disputa em eventual segundo turno: 40% a 37%. A pesquisa foi feita no período de 24 a 29 de setembro com 2 mil eleitores em 85 municípios baianos. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. O levantamento está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) sob o protocolo 00028/2014.
Fonte: Rede Brasil de Notícias

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Câmara rejeita projeto de lei de suplementação orçamentária, funcionalismo e obras serão prejudicados


O alto índice de aprovação da gestão da prefeita municipal de Uruçuca, Fernanda  Silva, tem definitivamente causado grande desespero nos parlamentares mirins do poder legislativo uruçuquenses, que fazem oposição ferrenha a atual administração municipal, são eles: Magnólia, Suely da Datilografia, Carlos Magno, Jai, Rodrigo de Paulino e a professora Lia.                                                                                              O fato, mais uma vez ficou evidenciado na manhã de hoje, 29. na Câmara Municipal de Vereadores, onde mais um projeto de lei oriundo do poder executivo municipal uruçuquense foi barrado pelos pares de oposição, sob a alegação de esclarecimentos insuficientes do Projeto de Lei que trata da suplementação orçamentária de 2014, que por decisão dos edis acima citados será devolvido a chefe do executivo municipal para que seja minuciosamente  detalhado.                                                                                                 
A não aprovação do projeto causa uma série de prejuízos à população do município, inclusive ao funcionalismo municipal, que ficará  sem receber seus vencimentos até que o imbróglio seja desfeito, por simples capricho de seis vereadores que fazem oposição a gestão de Fernanda Silva. Além dos vencimentos dos funcionários, as obras em andamento podem ser paralisadas, pela falta de dotação orçamentária.
O projeto já havia sido aprovado em primeira votação, mas acredito que um incidente, com a apreensão de um trio elétrico, que o ex-prefeito Dilson Argolo atribui a ordem da prefeita municipal, aliada ao discurso da executiva no último bate-papo, quando enumerou as obras conquistadas para população no seu governo, levou o ex-prefeito Dilson Argolo, que comanda cinco dos seis vereadores da oposição, pedir a rejeição do projeto.
Esta  é a primeira vez que um projeto de tal magnitude é barrado pela Câmara Municipal, que no passado deu passe livre, em suplementação, a dois ex-prefeitos, cujas gestões tinham indícios de irregularidades, comprovadas posteriormente com a rejeição das contas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM), um com duas contas, outro com quatro.
Espera-se a sensibilidade de alguns edis, principalmente o vereador Carlos Magno, conhecedor das leis municipais e equilibrado em suas decisões e a professora Lia, representante dos professores municipais, que não irá de encontro, prejudicar sua classe.
A prefeita Fernanda Silva, procurada pelo Blog, evitou comentar a decisão.
Heraldo Santana/Blog Água Preta

sábado, 27 de setembro de 2014

Diminuiu chance de ter 2º turno, avalia Datafolha

O resultado da pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta-feira (26), pode representar uma mudança nos rumos das eleições de 2014. "O resultado é importante porque indica a diminuição da chance de ter segundo turno", destacou o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista à TV Folha, após a divulgação dos novos números da pesquisa que indicam que Dilma Rousseff (PT) dobrou a vantagem sobre Marina Silva (PSB). Segundo o diretor, a pesquisa indica também que a disputa pelo segundo lugar, entre Marina Silva e Aécio Neves, tende a se acirrar nesta reta final para a eleição em primeiro turno. "A questão é saber se o tucano terá fôlego para alcançar Marina." Apesar da avaliação, Paulino reiterou que se for mantida a média de votos nulos e brancos das eleições anteriores, de 8% e 9%, e se Dilma alcançar entre 45% a 46% dos votos no primeiro turno (hoje ela tem 40% da intenções de voto), tem grande chance de fechar a eleição no primeiro turno e ser reeleita. "Se Dilma subir mais 5 a 6 pontos, liquida a fatura no primeiro turno", emendou. De acordo com ele, o Nordeste foi a região que deu maior vantagem a Dilma e, consequentemente, a perda de intenção de votos para Marina. "No Nordeste, Marina perdeu 9 pontos e Dilma cresceu 6 pontos, o que simboliza o reflexo da propaganda do medo (da campanha petista) e a preocupação dos eleitores de baixa renda dessa região, que tem mais acesso aos benefícios sociais, perderem tais conquistas caso Dilma não vença essas eleições", avaliou. A pesquisa Datafolha ouviu 11.474 eleitores em 402 municípios do Brasil. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o nível de confiança, de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00782/201. 
Fonte: Bahia Notícias

Vale a pena ver de novo: Mensalão do PT não chega aos pés da privataria tucana

O ano novo começa com a promessa de uma disputa dolorosa para o país.  O Brasil atravessará 2012 discutindo se quem roubou mais  foram os petistas e aliados envolvidos no escândalo do mensalão ou se foram os tucanos envolvidos nas denúncias contra as privatizações de patrimônio público durante o primeiro governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Nos próximos meses, portanto, o escândalo petista e o tucano estarão na berlinda midiática, o que irá desencadear uma verdadeira guerra política, pois os meios de comunicação aliados à oposição tentarão usar o julgamento do mensalão para interferir nas eleições municipais.
Como o inquérito do mensalão deve ser julgado durante o processo eleitoral deste ano, prevê-se que a imprensa deve tentar pressionar o Supremo Tribunal Federal a condenar expoentes governistas de forma a ajudar PSDB, DEM e PPS a elegerem governos municipais a fim de driblarem o processo de enfraquecimento pelo qual esses partidos vêm passando, com significativa redução de suas bancadas no Congresso Nacional.
Por outro lado, a base aliada, fustigada em 2011 por denúncias da mídia oposicionista contra ministros indicados pelos partidos que apoiam o governo federal, parece disposta a não apanhar sem reação. O previsível uso político-eleitoral do julgamento do mensalão fará os governistas se empenharem na CPI da Privataria, que já tem as assinaturas necessárias e já está protocolada na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados.
Independentemente da tragédia que será a contaminação das eleições de prefeitos e vereadores devido à tentativa midiático-oposicionista de usar o julgamento do mensalão como vitamina eleitoral para tucanos e aliados, vale comparar o escândalo petista ao tucano. Afinal, a imprensa já tomou partido nessa disputa patética e há anos vem tentando transformar o mensalão no “maior escândalo de corrupção da história”.
Comparando-se os dois escândalos, porém, essa teoria se torna risível. O mensalão, basicamente, teria sido compra de apoio de parlamentares pelo governo Lula para votarem a favor de suas proposições ao Congresso Nacional. As cifras envolvidas, no entanto, mal se comparam às que transparecem no livro A Privataria Tucana.
A tese do mensalão é a de que a empresa de cartões de crédito Visanet (hoje Cielo) teria recebido dinheiro público do Banco do Brasil e repassado às agências de publicidade DNA e SMP&B, do publicitário Marcos Valério, quem, através do Banco Rural, teria pago mensalidades a deputados da base aliada do governo Lula.
Segundo o relator do inquérito do mensalão no Supremo, ministro Joaquim Barbosa, o montante de recursos públicos que pode ter abastecido o suposto esquema do mensalão seria de R$ 73 milhões. Esse seria o que a imprensa oposicionista chama de “maior escândalo de corrupção da história”.
Abaixo, as coincidências entre saques no Banco Rural e as votações do Legislativo que o governo Lula teria vencido por subornar parlamentares e partidos aliados.
1 – A reforma tributária aprovada na Câmara em 24 de setembro de 2003 se conectaria a pagamentos de R$ 1,212 milhão nos dias 23, 25 e 26 daquele mês e ano;
2 – A reforma tributária modificada no Senado em 17 de dezembro de 2003 se conectaria a pagamentos de R$ 470 mil no mesmo dia 17 e no dia 19;
3 – A Medida Provisória (MP) do salário mínimo aprovada na Câmara em 2 de junho de 2004 teria contrapartida de saques de R$ 500 mil no Banco Rural na mesma data;
4 – A MP do salário mínimo aprovada em 23 de junho de 2004 na Câmara após passar pelo Senado coincidiria com saques no total de R$ 200 mil no mesmo dia;
5 – Votação do status de ministro para o presidente do Banco Central ocorrida em 1º de dezembro de 2004 teria gerado pagamentos no total de R$ 480 mil em 29 e 30 de novembro daquele ano.
6 – A MP dos Bingos aprovada em 30 de março de 2004 teria gerado pagamentos totais de R$ 200 mil no dia anterior.
7 – A Reforma da Previdência aprovada em primeiro turno na Câmara em 5 de agosto de 2003 teria tido a contrapartida de R$ 200 mil no dia seguinte.
8 – A Reforma da Previdência aprovada em 27 de agosto de 2003 teria gerado propinas no valor de R$ 200 mil aos deputados governistas nos dois dias anteriores, 25 e 26.
9 – A Reforma da Previdência aprovada no Senado em 26 de novembro de 2003 teria gerado pagamentos totais de R$ 400 mil no mesmo dia e no dia seguinte.
10 – A Reforma da Previdência aprovada Senado em segundo turno em 11 de dezembro de 2003 resultaria em pagamentos de R$ 120 mil um dia antes.
O total de R$ 3,98 milhões sacados por parlamentares no Banco Rural deixa muito a descobrir sobre o restante dos tais R$ 73 milhões a que alude o ministro Joaquim Barbosa, mas mesmo que toda essa dinheirama tivesse sido rastreada – e até já pode ter sido, mas só se ficará sabendo quando ocorrer o julgamento do mensalão –, mal se compara às cifras que foram COMPROVADAMENTE pagas aos parentes e assessores de José Serra em períodos coincidentes com as privatizações do governo FHC.
O livro-bomba da privataria mostra que valores como os que foram detectados como tendo sido pagos a deputados “mensaleiros” (R$ 3,98 milhões) chegavam a ser pagos em poucas semanas, durante anos, a parentes e assessores do ex-deputado, ex-senador, ex-ministro, ex-prefeito e ex-governador tucano. O total de propinas nas privatizações, calculado pelo livro, ultrapassa a casa dos 2 bilhões de reais.
Além disso, as denúncias contra as privatizações tucanas envolvem gigantescas movimentações financeiras em paraísos fiscais por meio de contas e subcontas em instituições financeiras nacionais e estrangeiras envolvidas com lavagem de dinheiro do terrorismo e do tráfico de dogas. Isso sem falar no aumento exponencial do patrimônio dos envolvidos.
Pode-se dizer, tranquilamente, que evidências como as que pesam contra petistas e aliados no escândalo do mensalão existem muito mais contra tucanos no escândalo das privatizações. Na verdade, se a régua usada para acusar os “mensaleiros” tivesse sido usada contra os “privateiros”, teria havido – ou estaria havendo – também um inquérito da Privataria no Supremo.
Para entender por que um escândalo muito maior – que envolve quase cem bilhões de reais de dinheiro público, o montante das privatizações tucanas – jamais foi investigado e denunciado como foi o escândalo do mensalão, há que voltar a agosto de 2007. Então, o ministro do Supremo Ricardo Lewandovsky foi flagrado por jornalista da Folha de São Paulo dizendo ao telefone que ele e seus pares haviam acabado de aceitar o inquérito do mensalão por pressão da mídia, ou, como disse textualmente, “Com a faca no pescoço”.
Como se sabe, com exceção da Folha de São Paulo, que dedicou algumas matérias críticas ao obscuro processo de privatizações do governo FHC, a grande imprensa, hoje na oposição, jamais incomodou o governo tucano. Pelo contrário: até por ter comprado boa parte do que foi privatizado na telefonia, a imprensa defendia furiosamente aquele processo.
Nos próximos meses, portanto, conforme for se aproximando o julgamento do mensalão, a imprensa será inundada por pressões contra o Supremo Tribunal Federal para que, em pleno processo eleitoral, condene petistas graúdos como José Dirceu a fim de desmoralizar o PT e ajudar o PSDB e aliados a recuperarem um pouco do poder que vêm perdendo.
Enquanto isso, assim como a imprensa esconde ou desqualifica o explosivo livro A Privataria Tucana, deverá tentar esconder ou distorcer a CPI que se pretende instalar para investigar as denúncias que a obra do jornalista Amaury Ribeiro Jr. contém. Se o PT e seus aliados não denunciarem isso, o julgamento do mensalão poderá lhes produzir uma catástrofe nas urnas.
Se o PT e seus aliados não se acovardarem, portanto, o país descobrirá que o mensalão está muito longe de ser o “maior escândalo de corrupção da história”, pois as privatizações do governo FHC, sim, é que constituem não só o maior escândalo político do Brasil, mas, muito provavelmente, um dos maiores do mundo, se não for o maior.
Fonte: Blog da Cidadania

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Valmir diz que quer vitória no primeiro turno “com Dilma puxando votos para Rui”

Dilma, Wagner e Rui
Mais de 15 mil pessoas participaram de carreata e caminhada com a presidente Dilma Rousseff (PT) e a chapa majoritária encabeçada por Rui Costa (governador, PT) e Otto Alencar (senador, PSD) pelas ruas de Feira de Santana, nesta quinta-feira (25). Durante atividade política e comício, a candidata petista, que busca a reeleição, e retorna de uma viagem longa no exterior, participou de coletiva de imprensa e reuniões com lideranças políticas como o governador Jaques Wagner, e candidatos da proporcional, como o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA). O integrante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) declarou ter confiança na vitória de Rui no primeiro turno com Dilma puxando votos para o petista. “Se em todas as outras eleições Wagner teve porcentagens de votos válidos ‘casadas’ com o presidente Lula e depois com Dilma agora Rui também terá esse mesmo desfecho”, aponta Assunção. Para ratificar a informação, o parlamentar federal recorreu aos dados finais das eleições de 2006 e 2010, dizendo que Rui também vai se beneficiar com essa crescida de Dilma nas pesquisas eleitorais na Bahia. “No pleito de 2006, por exemplo, Lula teve 66,65% e Wagner 52,89% e depois em 2010, na primeira eleição de Dilma, ela teve 62,62% e Wagner em sua reeleição teve 63,83% dos votos. Ou seja, anteriormente [2006], mesmo sem o governo do PT na Bahia, Wagner foi alavancado por Lula, e, em 2010, com Wagner já governador, casamos os votos. Agora teremos essa mesma estratégia também”, completa Valmir, que ainda pediu intenso movimento da militância nesta reta final de campanha, tanto para Dilma quanto para Rui. Durante o comício na cidade conhecida por ser a “Princesinha do Sertão”, Dilma destacou a duplicação das BR’s 101 e 116 e trecho que liga Feira de Santana a Sergipe e a Pernambuco e ainda citou a construção do BRT (Bus Rapid Transit) na cidade. “O país vai continuar crescendo com ações do governo federal. Aqui em Feria de Santana teremos mais Minha Casa, Minha Vida, vamos garantir também que os jovens e adultos, homens e mulheres tenham capacitação profissional do Pronatec. E vamos continuar mais agricultores beneficiados com obras estruturantes, que vão garantir que mais de mil quilômetros de Rios intermitentes passem a ser perenes”, diz a presidente petista. 
Fonte: Política Livre

Uruçuca: Deputados que representam bem o município



Valmir Assunção, prefeita Fernanda Silva e Ângela Sousa
Deputado Leur Lomanto
Em tempos de aparecimento de nomes, de deputados, que nunca colocaram os pés no município, mas enchem os bolsos dos cabos eleitorais, somos forçados a reconhecer o diferencial dos deputados que já deram e estão dando excelentes contribuições ao município.
Para iniciar, o trabalho incansável, do deputado federal Valmir Assunção, não deixa dúvidas, quanto a atenção que ele tem por Uruçuca. Começando pela emenda para cobertura e ampliação das arquibancadas do estádio Ferreirão, onde serão implantadas também cabines de rádio, projeto no valor de R$ 600 mil reais. A emenda das verbas para recuperação das estradas rurais no valor de R$ 700 mil reais; a escola rural, com seis salas de aula, na região de Domingos Correia, no valor de 1 milhão de reais e também a contribuição, em Brasília, para tornar célere o andamento da implantação da creche na Portelinha. Portanto, Valmir Assunção já mostrou trabalho e temos certeza que muito mais contribuirá com o município, principalmente, se tiver ao seu lado, Dilma e Rui.
Projeto da escola que será implantada na região de Domingos Correia
A deputada Ângela Sousa, sempre presente com a prefeita Fernanda Silva, lançou uma emenda para construção de uma Casa de Parto em Uruçuca e pretende fazer mais e mais pelo município. Já o deputado Leur Lomanto presenteou Serra Grande, com emendas para pavimentação das ruas da sede e da Baixa do Sargi, no valor de 600 mil reais e continuará grande parceiro da prefeita municipal, na próxima legislatura.
Votar em deputados estilo “Copa do Mundo”, que só vem aqui encher os bolsos dos cabos eleitorais e levar os votos dos eleitores incautos, representa um retrocesso na atual política brasileira, que já deveria ter sido reformada.
Heraldo Santana/Blog Água Preta

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Vox Populi mostra recuperação de Aécio e virada de Dilma no 2º turno

Tracking do Vox Populi encomendado pela campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, mostra que o adversário Aécio Neves (PSDB) tem condições de se recuperar e levar a disputa para o segundo turno. Até agora, as pesquisas de intenção de voto colocam Marina Silva (PSB) como a principal concorrente de Dilma. 


Pelos números do tracking, se as eleições fossem hoje, Dilma teria apoio de 40% do eleitorado, contra 22% de Marina e 17%. Na pesquisa Vox Populi divulgada na semana passada, Dilma tinha 36% do eleitorado, Marina 27% e Aécio, 15%. A nova pesquisa Vox Populi encomendada pela Record deve sair nesse início de semana.

Ainda de acordo como tracking, na simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a presidente virou a mesa e teria, hoje, 46% das intenções de voto, contra 39% de Marina. Na pesquisa anterior do Vox Populi, as duas estavam empatadas, já que a margem de erro é de dois pontos. Marina estava numericamente à frente. Ela tinha 42% e Dilma, 41%.

Os dados do tracking convergem com os dados das últimas pesquisas de opinião. Nelas, Marina parece ter atingido um pico entre o eleitorado e, desde então, estacionou. Aécio, por outro lado, vem retomando o espaço que perdeu entre os eleitores desde que Marina entrou na disputa substituindo Eduardo Campos.

No núcleo duro da campanha de Dilma, o desempenho de Aécio surpreende, mas o refluxo de Marina já era esperado. Os petistas apostam na desconstrução da imagem de Marina e contam com a "instabilidade" da ex-ministra, que volta e meia acaba se "enrolando" com algumas propostas, virando alvo fácil de críticas. 
Do Jornal GGN.

Ibama libera obras de megaporto no sul da Bahia


O Ibama concedeu a licença de instalação do Porto Sul da Bahia, em Ilhéus, que prevê investimentos de R$ 3 bilhões em dois grandes terminais. Com isso, as obras do megacomplexo portuário ficam liberadas. O aval foi dado na quinta-feira passada, mas só foi publicado na manhã desta segunda-feira.

A autarquia ambiental exigiu a implementação de 29 programas de compensações socioambientais para emitir a licença. Também impôs outras exigências, como a proibição do tráfego de caminhões pela rodovia BA-648 e a garantia de passagem de embarcações de pesca na região, durante toda a obra. O valor de R$ 10,6 milhões foi estipulado como compensação pelos impactos ao meio ambiente.
Em meados de agosto, um parecer assinado por nove analistas do Ibama apontou que o Porto Sul ainda não havia cumprido três condicionantes estabelecidas na licença prévia dada pelo órgão federal. Outras quatro condicionantes haviam sido cumpridas apenas “parcialmente”. O governo da Bahia, responsável pelo empreendimento, contestava esse parecer e assegurava ter atendido a todas as exigências.
O Porto Sul de Ilhéus fica em uma região preservada de Mata Atlântica e com forte apelo turístico. Tem apoio de parte significativa da população local, mas enfrenta a oposição de grupos ambientalistas. A localização do complexo portuária, prevista originalmente para a Ponta da Tulha (ao sul de Ilhéus), teve que mudar devido ao impacto potencial em comunidades indígenas. Diante das pressões, foi para Aritaguá, um estuário ao norte da cidade.
O Porto Sul poderá movimentar até 100 milhões de toneladas no 25o. ano de operação. Ele já teve autorização da Secretaria de Portos. Dois terminais vizinhos estão previstos. Um é da Bahia Mineração, que explora minério de ferro no município de Caetité e pretende escoar sua produção pela Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), cujo traçado termina em Ilhéus. A ferrovia está atrasada.
O outro terminal será explorado, em um sistema de condomínio, por empresas selecionadas pelo governo baiano. Pode envolver a movimentação de minério, grãos e até contêineres.
Fonte: Valor Econômico